Menu

The Journaling of Stone 963

pipemonday24's blog

"Médicos Me Deram 24h De Existência"

Qual A Diferença Entre Violão Clássico/erudito E Popular? Banda Sheppard E A Atividade De Tomar O Brasil /h1>

A rejeição começou desse jeito que minha mãe mostrou ao meu pai que estava grávida. Ele foi o primeiro a propor o aborto, porém não foi o único. Alguns meses depois, os médicos notaram que eu não me elaborarava bem e que nasceria com uma doença grave. A interrupção da gravidez foi sugerida pela segunda vez, contudo minha mãe recusou.


Desta forma que nasci, ficou nítido que eu não era um piá comum, desses que as pessoas pegam no colo e acariciam. Vim ao universo com uma doença rara chamada "ictiose congênita lamelar", que prejudicou o semblante da minha pele, deixando-a ressecada e com aparência de escamas.


Bem como nasci com úlcera nas córneas, o que dificultava que eu fechasse os olhos. Pra ajeitar o defeito passei por 11 cirurgias, entretanto essas eram as primeiras dores que estavam por vir. A Gibson Pode Até Falir, Contudo Ninguém Vai Deixar De Fazer Música médicos me deram vinte e quatro horas de vida. Felizmente erraram e no dia 16 de fevereiro completei vinte e um anos.




  • Kiko says

  • BENEFÍCIOS DA MÚSICA NO Tema ESCOLAR

  • 3- Início com um professor ou será que consigo aprender sozinho, tipo pela web

  • vinte de Fevereiro de 2014 às 05:51

  • 213 "O que pretende fazer, Mr. Satan?" Hércules, o Inexato Herói 19 de Janeiro de 1994

  • oito Pra que não é indicado o curso fórmula do violão

  • Museu da Resistência Dinamarquesa (Copenhague/Dinamarca)

  • 2002 The Division como Josh Costa



  • No momento em que cheguei da maternidade, depois de um enorme tempo de internação, as pessoas que iam me visitar não queriam me tocar. Tinham medo de a doença ser contagiosa, bem que não seja. Com tratamentos contínuos e os avanços da medicina, minha doença amenizou.


    A vida nunca foi simples para mim. Na instituição, tive dois ou 3 amiguinhos, as garotas não queriam se aproximar. Fiz amizades na rua onde eu morava, porém, no geral, fui uma menina solitária. A fé me assistência a percorrer e a afrontar o preconceito que segue todos os meus passos.


    Como nunca adorei de reclamar da existência, a toda a hora arrumei motivos para sorrir. No momento em que chegava em moradia, ouvia música e começava a dançar e cantar para espantar a amargura. Claro que alguns dias eu chegava deprimida e chorava, entretanto na maior quantidade do tempo o carinho da minha família era o suficiente para me perceber bem. Na atualidade até dou risada dessas pessoas que me rejeitaram.


    Não ligo mais para a opinião alheia, contudo o preconceito ainda dificulta a procura por emprego. No momento em que completei dezoito anos, quis trabalhar imediatamente porque não amo de precisar da minha família. Eles têm suas próprias despesas e eu queria arcar com as minhas. Fui em incalculáveis estabelecimentos dar currículos, porém a toda a hora me olhavam e diziam que não estavam contratando.


    Eu agradecia pela atenção e ia embora. Após um tempo, voltei em um desses comércios e vi que tinham contratado vários funcionários. O preconceito é muito presente e desse modo ainda não trabalho. As coisas melhoraram no momento em que comecei a cursar Zootecnia em uma universidade em Presidente Prudente, a vinte e quatro km de Pirapozinho, no interior de São Paulo, onde eu moro.


    Os amigos que não tive na infância, tenho pela universidade, onde fui super bem acolhida. Neste momento tenho alguns passatempos que me ajudam a esquecer dos defeitos, como a dança sertaneja e meu canal no Youtube, o Cinderela Country. Nos vídeos, ensino tutoriais de maquiagem — uma questão que sou apaixonada desde a infância — e levo dicas a respeito minha doença às pessoas. No início, esse universo do Youtube me assustava um tanto já que a web é o refúgio de várias pessoas maldosas, no entanto um conhecido me convenceu e desenvolvi coragem para gravar.


    O meu público é bem carinhoso. ] Foi Utilizada Bem como No Rock todo o momento recebo mensagens de mulheres que têm depressão e dificuldades de autoestima, no entanto de vez em no momento em que alguns comentários desagradáveis me entristecem e dão vontade de desistir. Aí eu paro e vejo que já fui muito longínquo e não poderei regressar atrás.


Go Back

Comment

Blog Search

Comments

There are currently no blog comments.